Italiano alertou para todos ficarem em suas residências

Italiano alertou para todos ficarem em suas residências – Foto: Ansa

O primeiro paciente infectado com o novo coronavírus (Sars-CoV-2) registrado em toda a Itália recebeu alta médica nesta segunda-feira (23), após ficar hospitalizado mais de um mês.

O homem de 38 anos, identificado como Mattia, chegou ao hospital de Codogno, na região da Lombardia, na noite do dia 21 para 22 de fevereiro em situação grave, depois de apresentar os sintomas da Covid-19. Na ocasião, ele logo precisou ser transferido para o centro médico San Matteo de Pavia, para a unidade de terapia intensiva.

Originário de Codogno, na Lombardia, epicentro da epidemia na Itália, Mattia é pesquisador e trabalha para a Unilever. Ele foi infectado depois que reencontrou em um jantar um amigo que acabara de voltar da China, sem nenhum sintoma da doença.

Depois de internado, o italiano começou a apresentar melhora e respirar sem ajuda de aparelhos somente no dia 9 de março. “Tive sorte, fique em casa”, disse o italiano, em uma transmissão de vídeo em sua página no Facebook.

“É difícil contar o que aconteceu comigo. Lembro-me da hospitalização, fiquei 18 dias em terapia intensiva e depois no departamento de doenças infecciosas, onde comecei a ter contato com o mundo real e fazer a melhor coisa: voltar a respirar”, acrescentou. Mattia ainda alertou que “a prevenção é essencial para não espalhar a infecção”. Segundo o pesquisador, a situação agora é “crítica, pois não há mais equipe para garantir assistência a todos os pacientes com coronavírus”.

Depois de alertar as pessoas para não saírem de casa, ele ainda pediu que sua privacidade seja respeitada. “Quero esquecer essa experiência trágica e voltar ao normal”, finalizou.

Da AnsaFlash

Deputado Zé Teixeira