Alan Guedes durante discurso na abertura da 8ª Conferência Municipal de Saúde – Foto: Thiago Morais

Ao participar da abertura oficial da 8ª Conferência Municipal de Saúde, que este ano tem como tema ‘Democracia e Saúde’, realizada pela Secretaria de Saúde do Município, junto com o Conselho Municipal de Saúde, o presidente da Câmara de Dourados, vereador Alan Guedes (DEM) sugeriu como pauta para os debates a discussão em torno do encolhimento da qualidade do gasto público com saúde.

Alan Guedes prestigiou a abertura da Conferência acompanhado do vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara, e presidente da Comissão Permanente de Higiene e Saúde, Elias Ishy de Mattos (PT) e aproveitou para cumprimentar os organizadores, destacando a importância da temática em torno da consolidação e do financiamento do SUS (Sistema Único de Saúde).

“Não é de agora que isso acontece, mas, e o tema não poderia ser mais apropriado, ‘Democracia em Saúde’, esta Conferência ocorre em um momento que percebemos um encolhimento da qualidade do gasto público em saúde, e isso é algo que precisamos debater”, discursou Alan Guedes.

A Câmara de Dourados é parceira desses debates, afirmou o presidente da Câmara, reiterando o papel da Comissão de Saúde como “instrumento para fazer política na ponta, ou seja, fazer a nossa representação maior fora da casa legislativa, como mostra a presença do vereador Elias Ishy nesta abertura”. O apoio da comunidade aos resultados da Conferência, com a escolha dos 24 delegados que irão representar as demandas de Dourados na Conferência Estadual, também é significativo “e fundamental para definirmos um norte para a nossa Saúde Pública”, concluiu o presidente.

Avanços

Para o presidente da Comissão de Saúde da Câmara, vereador Elias Ishy (PT), a Conferência deste ano deve se preocupar em buscar formas “para resistir aos mais violentos ataques ao sistema público e formular políticas para que o SUS supere algumas barreiras, como o sucateamento e a precarização, e isso só é possível com o fortalecimento da contribuição dos trabalhadores e trabalhadoras nesse processo”.

Ele lembrou que o tema escolhido em 2019 remete à primeira conferência do tipo realizada no País, em 1986, e “pode parecer estranho, mas, estamos debatendo hoje o mesmo que foi discutido naquela época. Então, é de se perguntar: Quantos avanços tivemos neste período? Qual a nossa realidade? Temos muita luta ainda pela frente…”, observou o vereador.

A Conferência “Democracia e Saúde” reúne, até nesta sexta-feira (12), na Unigran, os segmentos sociais representativos do SUS (prestadores, gestores, trabalhadores e usuários do Sistema), para avaliar e propor diretrizes para a formulação da política de saúde pública.