Alan Guedes quer mobilização a favor da Coronel Ponciano – Foto: Thiago Morais

O vereador Alan Guedes (DEM) defendeu na sessão desta segunda-feira (12), da Câmara de Dourados, a mobilização de todos os colegas em favor da proposta feita pelo deputado Marçal Filho (PSDB) visando a enfrentar a problemática verificada na Rua Coronel Ponciano, principalmente no trecho que demanda do centro da cidade e dos bairros populosos daquela região no sentido Distrito Industrial, ao chamado ‘trevo do DOF’.

Alan Guedes lembrou os esforços que vem sendo realizados, na Assembleia Legislativa, pelo ex-colega de Câmara, deputado Marçal Filho (PSDB), e considerou que essa preocupação aumenta de acordo com a gravidade do problema, “à medida que várias mortes, apenas nos últimos 30 dias, ceifaram vidas e tornaram essa situação muito séria”.

De acordo com o vereador, a Câmara de Dourados já mostrou esse comprometimento com causas de relevante interesse público quando aprovou, em 2017, a autorização para que a Prefeitura possa dispor da contrapartida pela isenção em obras executadas em condomínios fechados com a realização de serviços públicos. Nesse sentido, trabalhos de recapeamento e de tapa-buracos já atenderam trechos críticos das ruas Cuiabá e Monte Castelo, por exemplo.

“É bem verdade que o problema da rua Coronel Ponciano é bem mais grave, trata-se de uma importante via de ligação a vários órgãos públicos [a sede da Prefeitura, das Secretarias de Saúde e de Educação, a UPA 24h, o Detran e o DOF estão localizados nessa rua] e a grandes empresas, como supermercado, indústrias, sem contar o acesso a bairros densamente povoados, como o Guaicurus, Dioclécio Artuzi, Harrison Figueiredo; por isso mesmo, deve ser feita uma ampla mobilização”, disse Alan Guedes.

O vereador afirmou ainda que, enquanto presidente da Câmara de Dourados, se comprometeu a apoiar essa ação do deputado Marçal, e pediu o apoio dos colegas da Casa no sentido de estender essa campanha aos membros da bancada na Assembleia, e às bancadas da Câmara e do Senado, para que também “possamos envolver a concessionária CCR e sensibilizar autoridades da importância de encontrar uma solução”.