Escolha de variedades com diferenciais genéticos podem impactar na produtividade da lavoura

Com o plantio de soja no Brasil quase finalizado, a expectativa é de uma nova safra recorde em 2018/2019. Segundo informações da consultoria Safras & Mercado, divulgadas em novembro, o país deverá colher 122.2 milhões de toneladas da oleaginosa neste ciclo, número que supera as 120.8 milhões de toneladas da safra anterior. E, os produtores brasileiros estão de olho na produtividade para garantir bons resultados.

É o caso de Charles Peeters, sojicultor no município goiano de Montividiu. Sua família sempre esteve envolvida com atividades agrícolas e tem na soja 70% do seu negócio. Segundo ele, não é possível controlar todos os custos da safra, por questões externas de mercado, por isso ele procura melhorar seus resultados ao escolher cultivares de soja que estão melhor adaptadas às condições de solo e clima do sudoeste goiano, para que assim, consiga o máximo possível de produtividade.

Cliente Monsoy, Peeters conta que desde que testou as cultivares da marca pela primeira vez, percebeu que genética e tecnologia caminham juntas e impactam substancialmente na produtividade da lavoura. “A gente sempre prefere produtos com tecnologia diferenciada, inovação e genética, porque agregam na produtividade, além de serem cultivares que vão produzir mais que as anteriores”, explica o produtor.

Com 29% de participação de mercado no ciclo 2017/2018 – segundo a pesquisa AMIS Soja, realizada pela consultoria Kleffmann Group -, a Monsoy possui mais de 20 variedades disponíveis da oleaginosa no mercado. Segundo o líder de negócios da marca para o Brasil, Alexandre Chaves, o foco da Monsoy em desenvolvimento de germoplasma é um dos fatores que explicam esse resultado. “O território brasileiro é enorme, com inúmeras particularidades de clima, solo e até de pragas e doenças. Então, para nos assegurarmos que nossas variedades se adaptem a condições diversas, fazemos pesquisas pelo país inteiro”, explica Chaves.

Com programas de melhoramento genético, estações de pesquisa de norte a sul e enorme banco de germoplasmas no Brasil, a Monsoy consegue entregar os melhores resultados e alta produtividade na lavoura. Para Chaves, perceber a satisfação do agricultor com a marca é essencial. “Liderança de mercado é uma consequência. Para nós, o mais importante é saber que o produtor brasileiro está alcançando ótimos resultados. Isso nos mostra que estamos no caminho certo”, completa.

Sobre a Monsoy

Com mais de 20 anos de história no Brasil, a Monsoy tornou-se referência no desenvolvimento de germoplasma de soja devido ao seu foco em pesquisa e genética. São sete programas de melhoramento genético e 18 estações de pesquisas espalhados pelo Brasil e um dos maiores bancos genéticos do mundo. O resultado disso são mais de 20 variedades de soja, adaptadas às particularidades de solo e clima das diferentes regiões do país. http://www.monsoy.com.br/

Prefeitura de Ivinhema_Taxa de Lixo